Simples Assim


Poesia e culinária – Bolo de Morango

 Quem falou que culinária e poesia são irmãs só poderia ser um sábio. E foi. Eça de Queiroz quando escreveu essa frase com certeza tinha experimentado momentos que nós, como amantes da arte culinária, sentimos tantas vezes.

Foi o que pensei quando comi esse bolo delicioso. Algo poético e inspirador que me fez pensar o quanto essas duas artes se confundem e trazem leveza à nossa vida.

Era um sábado de manhã, silencioso, tranquilo, com uma leve brisa que trazia aconchego e animava os pássaros a cantar. O momento pedia um café. E foi o que fiz. Todos ainda dormindo e eu saboreando os primeiros raios da manhã. Lembrei do bolo sobre a mesa que aguardava o momento solene de ser experimentado. Solene porque uma nova receita sempre é brindada com uma boa novidade por todos da família. Mas, naquele instante, egoísticamente não esperei por ninguém. Levei o bolo para a varanda para completar a perfeição do cenário e, quase esqueço de fotografá-lo para vocês, tamanha minha vontade de prová-lo.

Depois da sessão de fotos, do café passado , finalmente pude desfrutar daquele momento. Uma poesia.O bolo, o momento. Um verso com rima.

Tenham também o seu momento nesse sábado ou outro dia qualquer degustando essa delícia que veio diretamente da cozinha da Valentina, uma especialista em coisas gostosas.

Obrigada, Valentina por trazer poesia ao meu sábado.

Bolo de Morangoreceita daqui
 
 Ingredientes:

manteiga com sal – 100 g, em temperatura ambiente
açúcar granulado – 200 g, mais duas colheres de sopa
ovo – 1, grande
leite semi desnatado – 120 ml
extrato de baunilha – 1 colher de chá
farinha de trigo com fermento * – 200 g
morangos – 400g
Para a calda
açúcar de confeireiro – 50 g
morangos picados – o que sobrar depois de colocar 3/4 no bolo

Como fazer:

Pegue uma forma de 23 cm. Unte e forre o fundo. Reserve.

Em uma batedeira coloque o açúcar e a manteiga e bata bem até ficar com uma mistura esbranquiçada.
Vai demorar um pouquinho pois açúcar granulado demora a se integrar com a manteiga.
Acrescente os ovos e o leite, e bata mais. Esta adição deve ser gradual.
Você vai precisar dar uma raspada nas laterais da vasilha algumas vezes.
Depois acrescente a baunilha e bata um pouco; depois acrescente a farinha de trigo e bata um pouco em baixa velocidade para que os ingredientes se integrem.
Transfira a massa para a forma reservada.
Espalhe 3/4 dos morangos por cima da massa.
Não é necessário empurrar os morangos na massa. Basta colocá-los firmes e eles assarão bem.
Uma vez que os morangos estejam espalhados por cima da massa, salpique açúcar granulado por cima de tudo e asse por uns 50 a 55 minutos.

Enquanto o bolo assa, pegue o restante dos morangos picados e coloque-os em uma vasilha com açúcar de confeiteiro. Deixe descansar. O açúcar vai ajudar a retirar o suco dos morangos. Após uns 15 minutos passe os morangos pela peneira e recolha o suco que escorrer. Este suco deve ser misturado com os 50 g do açúucar. Mexa em até atingir a espessura desejada  – não muito fino. Não vai ao fogo pois é somente uma caldinha simples.  Reserve.

Quando o bolo ficar pronto retire do forno e deixe esfriar por uns 10 minutos antes de tirar da forma. Transfira para uma grelha e deixe esfriar completamente.  Só então espalhe a calda simples por cima do bolo.

  1. Não é lindo quando a gente consegue captar a essência da vida?? Simplicidade… Acabo de ver um bolinho de fubá Naco Zinha da Gina e agora o seu. Meu Deus, tá todo mundo sintonizado na mesma inspiração!! Vou correndo fazer o bolo da minha avó também!!

    E deixo pra vc, que gosta de poesia e de doce que nem eu, um versinho da Cora Coralina: "Feliz é aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina". Essa mulher sabia das coisas.

    Um fim de semana cheio de poesia pra vc!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lylia Diogenes

Jornalista, blogueira, mãe, esposa, filha, sogra, amiga, irmã. Leitora voraz, curiosa, destemida, alegre, sensível, apaixonada pela vida, por animais, por viagens, por comidas gostosas, por boas bebidas, frio, silêncio, natureza, paz. Assim sou eu, do jeitinho que me vejo. Múltipla na unidade e acreditando, sempre, que o melhor está por vir.

Novidades!

Adicione esse tempero

” Cozinhar é o tipo de coisa que exige um pouco de paixão e ilusão.”

Nina Horta

Facebook

Publicidade

Pinterest

Google Plus

Categorias