Simples Assim


Valeu a espera – A receita da rabada

Finalmente chegou o grande dia de postar a receita da tão falada rabada.Foi bom por que atiçou o apetite e vocês puderam saborear algumas das delícias que fizeram daquele dia algo muito especial. Não foi fácil selecionar as fotos – algumas da Leili, outras minhas – e esperar que meu atarefado marido escrevesse a receita, pois fiz questão que ele mesmo nos contasse como fez o prato.Com tudo pronto, então, é com muita alegria que escrevo essa postagem.
 Além de cozinhar muito bem,  uma das qualidades do meu marido é escrever igualmente bem. Escreve prosa como se fosse poesia. Aliás, esse foi um dos motivos para eu me apaixonar por ele. Mas, essa é uma outra história. Acho até que ele é quem deveria escrever o Simples Assim , pois o sucesso seria bem maior…
Mas, vamos ao que interessa! Ah! Mas, antes quero agradecer a Dete, minha ajudante de todo dia que tanto cooperou para o sucesso do prato, e ao meu marido  pelo carinho, gentileza, tempo e emoção que  colocou no preparo desse almoço para as Harmoniosas.
Obrigada, querido, é por isso e por tantos outros motivos que  te amo.
Rabada das Harmoniosas –  escrita e preparada pelo Lipel
Primeiramente, a seleção do açougue é muito importante. Procurei em vários deles uma rabada que estivesse com cara honesta e que fosse magra.
Depois, e não por último, a seleção dos outros complementos como o fubá e o agrião. Isso faz a diferença.
Vamos lá.
Ingredientes:
  •  4 peças de rabo bovino – o ideal é uma peça para quatro pessoas
  • Cebola à gosto – coloquei 4 médias
  • Alho à gosto – coloquei 8 dentes de alho
  • 6 maços de agrião fresco
  • 3 copos de vinho tinto para temperar
  • 2 latinhas de cerveja
  • Farinha de milho
  • Azeite à gosto
  • Salsa e cebolinha à gosto
  • Óleo de canola
  • Sal
  • Pimenta do reino branca moída na hora – à gosto
  • 2 colheres (sopa) de molho de soja

Como fazer:

  •  Corte os pedaços da rabada , tire o excesso de gordura  e coloque em uma panela grande com água fervente , suco de 2 limões e 1 copo de vinagre.
  • Esse processo ajuda a tirar, ainda mais, a gordura.
  • Depois que mudar de cor, retire da panela e reserve.
  • Corte a cebola e o alho em pedacinhos, acrescente o  sal, a pimenta e o vinho.
  • Coloque a rabada nesse tempero por 24 horas.
  • Pique a cebola em pequenos pedaços
  • No dia seguinte, levante com bastante disposição e pense na alegria dos seus convidados que irão saborear uma comida “dos deuses”.
  • Já na cozinha, peque uma panela de alumínio grande e comece colocando o óleo aos poucos Quandro o óleo já estiver bem quente, coloque os pedaços maiores da rabada e deixe-os dispostos no fundo. Esse processo é demorado, pois você tem que colocar a carne aos poucos, senão solta muita água.
  • Vá dourando até que ela fique bem tostadinha.
  • À medida que vai dourando, retire da panela e coloque outros pedaços. Se precisar, coloque mais óleo.
  • Repita o processo até terminar todos os pedaços.
  • A seguir, em uma – ou duas panelas – panelas de pressão vá dispondo as carnes fritas e coloque   1 xícara de café de azeite de oliva, 2 folhas de louro e adicione água quente até cobrir as carnes.
  • Feche a panela e deixe cozinhar por 50 minutos.
  • Depois desse tempo abra a panela, tomando todas as precauções de segurança, e sinta a textura e a maciez da carne, espetando um garfo.
  • Deverá estar quase macia.
  • Nessa hora, coloque a cerveja, complete com um pouco mais de água quente e feche a panela e deixe cozinhar por mais 50 minutos.
  • Passado este tempo, deixe sair a pressão, abra a panela novamente e teste novamente a maciez da carne.
  • Deixe esfriar até que a gordura suba e você possa tirá-la com uma colher
  • Por isso, o ideal é que seja feita de véspera, pois você deixa na geladeira uma noite e no dia seguinte a gordura endurece e fica bem fácil de tirar.

Deixe então a panela  no fogo, sem tampa,  por mais ou menos uns 20 minutos, o que fará com que o molho vá secado e fique escuro e denso.

  • Quase no final, coloque por cima da carne as folhas do agrião, reservando uns dois maços para a arrumação do prato.
  • Mexa de vez em quando para não grudar.

Enquanto isso aproveite para fazer a polenta.

  • Em uma panela grande coloque dois litros de água e deixe ferver.
  • Adicione 2 colheres de manteiga e 2 colheres de chá de sal.
  • Mexa bem e vá colocando 2 xícaras de fubá lentamente, mexendo sempre para não embolotar.
  • Este é o segredo: não parar de mexer.
  • Se gostar mais mole, adicione mais água quente. Prove o sal e acrescente mais, se necessário.
  • Coloque em uma travessa e espalhe bastante queijo parmesão ralado.
Vejam só a satisfação do “cozinheiro”

Agora, sente-se e fique apreciando a expressão dos convidados e veja como valeu a pena todo seu carinho e trabalhão!

Outros pratos únicos Simples Assim:
Escondidinho de linguiça com batata baroa
Torta de carne moída recheada com arroz de forno
Arroz de forno

  1. Lylia, querida,

    Não há nada como degustar um prato feito com conhecimento e carinho, e isso a gente percebe logo que o Lipel tem de sobra, no que se refere aos pratos apresentados. Tenho certeza de que esta rabada ficou magnífica, parabéns ao mestre cuca, rsrs.

    Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lylia Diogenes

Jornalista, blogueira, mãe, esposa, filha, sogra, amiga, irmã. Leitora voraz, curiosa, destemida, alegre, sensível, apaixonada pela vida, por animais, por viagens, por comidas gostosas, por boas bebidas, frio, silêncio, natureza, paz. Assim sou eu, do jeitinho que me vejo. Múltipla na unidade e acreditando, sempre, que o melhor está por vir.

Novidades!

Adicione esse tempero

” O cozinheiro é um artista que vê no ingrediente uma tela em branco.Nos temperos as tintas e então com sua alma criativa mescla textura, formas e sabores, fazendo do prato de comida a mais pura obra de arte.”

Marina de Carvalho Mendes

Facebook

Publicidade

Instagram

Google Plus

Categorias