Simples Assim


Terça das dicas – 8 dicas para deixar seu arroz soltinho e gostoso

Antes de escrever para você sempre penso, seleciono e procuro algo que seja do agrado de todos.Muitas vezes evito falar do óbvio, como o preparo do arroz , pois parece que todo mundo já sabe como deixá-lo mais soltinho, perfumado e gostoso.Até que uma amiga recém-casada, conversando comigo,  disse que não conseguia fazer um arroz gostoso.Às vezes queimava no fundo, outras vezes virava uma “papa” ou ficava com os grãos duros. Foi então que me perguntei:
Por que então não dedicar a próxima “terça das dicas” para o arroz?
Para atender,então, a minha amiga e tantas outras pessoas que ainda não sabem fazer “aquele” arroz trago hoje 8 dicas, selecionadas daqui, que vão deixa-lo perfeito.

 1) Na hora de comprar, prefira o arroz de formato alongado, grãos íntegros e tom perolado
Prefira os grãos inteiros, pois os quebradiços vão desmanchar no cozimento e deixar o arroz empapado. A cor também é importante. O melhor é optar por um arroz de tom perolado, mais soltinho do que os brancos.
2) A proporção ideal é: duas partes de água para uma de arroz
A proporção ideal é indiscutível: duas porções de água para cada uma de arroz. É importante considerar que a água do cozimento será aquecida e pode haver perda de volume nesse processo. Logo, é sempre bom colocar um um pouquinho a mais para ferver. Pouca coisa, um chorinho basta.
3) A panela tem de ter o tamanho certo. E o cozinheiro deve conhecê-la bem
A escolha da caçarola tem mais a ver com o tamanho do que com o material. No cozimento o arroz tende a aumentar 50 a 60% de volume. “Por isso, escolha uma panela que comporte essa quantidade”, afirma Alex Caputo, do Atelier Gourmand, em São Paulo. Mais: “As panelas de fundo grosso seguram mais o calor e tendem a prolongar o cozimento. Se o cozinheiro não souber disso, pode queimar a receita mesmo com o fogo desligado”, diz.
4) Lavar ajuda a acelerar o cozimento
A água tira o excesso de amido, que age como espessante no cozimento do arroz, garante sua assepsia e inicia a hidratação do grão. “A cocção desse ingrediente é um processo de absorção de líquido. Por isso, lavar ainda ajuda a acelerar o cozimento”, afirma Caputo.
5) Sempre cozinhe o arroz em água quente e jamais acrescente água fria no processo
Não existe uma temperatura padrão para cozinhar o arroz. Segunda Renata Bottini, isso depende da capacidade do grão de absorver água e da sua idade – os mais jovens cozinham mais depressa. Mas é certo que a maioria deles inicia o cozimento antes da fervura da água, entre 69º e 75º C. Mas o tipo de panela e a potência do fogão fazem a temperatura variar. O importante é, portanto, sempre cozinhar o arroz em água quente e jamais acrescentar água fria durante o processo. “É preciso manter a temperatura do inicio ao fim do cozimento, que sempre deve ser em fogo baixo”, afirma Caputo.
6) Refogar bem garante que os grãos fiquem soltinhos
O refogado sela e lubrifica os grãos. Assim, garante que fiquem soltinhos. A proporção de óleo deve ser de 5% a 10% da quantidade de arroz. “Para uma xícara cheia de grãos, uma colher de sopa de óleo é suficiente. Mais do que isso o arroz ficará encharcado”, afirma Caputo.
7) Cozinhar e escorrer ou deixar secar a água? Depende. Pode mexer? Não
O método de cocção varia de cozinha para cozinha. Para grãos de qualidade inferior o ideal é usar a técnica do excesso de água como é feito no cozimento das massas, indica Renata Bottini. “Coloca-se os grãos em água salgada fervente até que fiquem macios, depois é só escorrer em uma peneira. Isso evita que vire papa.” No Brasil, o método mais comum é o da secagem e absorção quase que total da água. Nesse caso, deve-se entrar com ela bem quente depois do refogado, quando os grãos já estiverem quase transparentes.
Se preferir não fritar o arroz cru e os temperos antes, ferva a água com os esses temperos e, só então, adicione o arroz. “Nesse método, não vai óleo em nenhum momento, fica mais leve e saudável”, afirma Marcelo Angele.
Em ambos os casos, o mais importante é não mexer o arroz durante o cozimento. Isso pode machucar os grãos e produzir o indesejável efeito papa.
O momento certo de desligar o fogo é quando ainda restar um fundinho de água na panela. “Ele tem que formar buracos, como se fosse um formigueiro. Deve estar quase seco, mas ainda com vapor lateral”, diz o chef Renato Caleffi do restaurante orgânico Le Manjue Bistrô, em São Paulo.
8) Como conservar 
Um arroz branco pode durar até uma semana na geladeira, se bem acondicionado. Mas alguns errinhos podem encurtar sua vida útil. “A cebola mal refogada é a grande vilã. Ela fica azeda e leva o arroz no embalo”, afirma Caputo.
Outra providência pouco conhecida é guardá-lo ainda quente. “O refrigerador funciona reduzindo a temperatura dos alimentos. Deixar esfriar no calor ambiente é dar margem para as bactérias se proliferarem”, afirma o chef.
Receitas de arroz Simples Assim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lylia Diogenes

Jornalista, blogueira, mãe, esposa, filha, sogra, amiga, irmã. Leitora voraz, curiosa, destemida, alegre, sensível, apaixonada pela vida, por animais, por viagens, por comidas gostosas, por boas bebidas, frio, silêncio, natureza, paz. Assim sou eu, do jeitinho que me vejo. Múltipla na unidade e acreditando, sempre, que o melhor está por vir.

Novidades!

Facebook

Publicidade

Instagram

Google Plus

Adicione esse tempero

"Cozinha é um grande laboratório de experiências e um lugar onde todos se divertem, basta perder o medo de arriscar, ousar, brincar. Palavra de Bruxa!"

Sandra Reis

Categorias