Simples Assim


BC – um dia para Glória: 14 de abril

Essa é a Glorinha, com 5 anos, em uma foto no seu blog
Mais uma amiga blogueira que se vai… A primeira foi a Welze, do Gostosuras sem Travessuras em novembro de 2011. Agora a Glorinha no último dia 5 de abril. Estou muito triste, pois mesmo com o pouco tempo que convivi com elas nesse mundo virtual percebi que eram pessoas especiais, generosas, sensíveis, alegres e espontâneas. Por que vão embora assim quando ainda tem dando a oferecer e a nos enriquecer com suas presenças? Um mistério que só a minha profunda fé permite que aceite e confie que tudo está dentro do plano divino.

Nossa amiga, Ângela, do Ora Pitangas, nos convidou para uma blogagem coletiva hoje, 14 de abril, , em sua memória.Ela escolheu essa data por ter sido o dia do lançamento do primeiro livro da Glorinha quando ela, na opinão da  Ângela – que também concordei – “ faria uma linda, emocionante e especial postagem comemorativa”..

Não poderia deixar de partiipar e a melhor maneira que achei foi reproduzir um pedacinho de um texto dela quando ela fala sobre o milagre de estar viva. Era o mês de setembro, mês de seu aniversário.Lembrei de mim, quando agora, também no meu mês minhas emoções se misturam com o que ela escreveu.

A gente passa a vida fazendo o “Jogo do Contente”.
Pensa bem – a gente diz pra gente mesma – tem gente sofrendo mais que eu, tem gente que não tem o que eu tenho, olha pro lado, vê como tem pessoas em pior situação, eu tenho duas pernas, dois braços, dois olhos, tem gente que não tem…

(…)Acho que os sentimentos humanos existem para serem sentidos com toda a sua força. Precisamos dar vazão, deixá-los sair. Gritar, chorar, espernear. Sentir raiva, dor, prazer, alegria. A compaixão tem lugar, mas quando sofremos, só nós sabemos da nossa dor.

Subestimar nossos sentimentos, tornando-os menores, sublimando-os ou fingindo que não os sentimos, isso sim, é doentio.

Fomos feitos pra nos regozijar com pequenas coisas e chorar também por elas. Pelas grandes então, nem se fala.

Setembro chegou.
É o meu mês. O mês em que nasci e em que a Primavera me traz de volta pequenos tesouros.
Sempre acontece algo de bom para mim em Setembro, nem que seja um almoço em família no dia do meu aniversário.

Olho pela minha janela e me recordo do que vi através dela durante todo esse ano.
Pequenos grandes milagres da Vida, diariamente. 
Os micos leão da cara dourada, com seus filhotinhos às costas.
Essa foto é da Glorinha
O gaturamo verdadeiro, com seus tons de azulão e amarelo intensos…
Essa também é da Glorinha

Os canarinhos da terra, livres, comendo a canjiquinha que coloco para eles no muro…

Foto da Glorinha
Enfim, olhando pela minha janela, via a Vida e a cada dia que passa entendo mais do que é feita.
Da dor e da alegria, do sal e do açúcar…de nascimentos e também de perdas.
Mais um aniversário se aproxima e sei mais acerca de mim.
Acho que disso tudo, essa é a grande certeza que tenho hoje: Me aceito e me conheço.
E sei do que sou capaz.
Minha janela é minha vida. Sou grata por ter me mostrado que a natureza sou eu. E que eu sou ela.
Fosse entre lágrimas ou entre sorrisos, vi meus bichos, diariamente e, todos eles me pertencem e eu a eles.
Por esse retângulo iluminado pela claridade lá de fora, olhei e vi.”
Glorinha Leão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lylia Diogenes

Jornalista, blogueira, mãe, esposa, filha, sogra, amiga, irmã. Leitora voraz, curiosa, destemida, alegre, sensível, apaixonada pela vida, por animais, por viagens, por comidas gostosas, por boas bebidas, frio, silêncio, natureza, paz. Assim sou eu, do jeitinho que me vejo. Múltipla na unidade e acreditando, sempre, que o melhor está por vir.

Queremos ouvir você!

Novidades!

Facebook

Publicidade

Instagram

Google Plus

Adicione esse tempero

“Cozinhar com sabor são delícias compartilhadas com amor !”

Aimara Shindler

Categorias